Sobre a Camila Quintana - Assessoria de Eventos

A Cerimonialista Camila Quintana é graduada em Comunicação Social - Bacharelado em Relações Públicas pela Unisinos. Concluiu o curso com Distinção com a abordagem do tema "Crise de Imagem de Pessoa Pública" baseado no case de Ibsen Pinheiro, buscando a problemática de soluções de crises e restabelecimento de imagem no mercado. Entre 2008 e 2010 trabalhou na área de Atendimento ao Cliente na empresa Claro assessorando em casos críticos para reversão de imagem da empresa. Posteriormente atuou na Central de Eventos na tradicional Associação Leopoldina Juvenil de Porto Alegre e no Clube do Comércio,junto à Barcelos Gastronomia, tendo ainda passagem como Coordenadora de Eventos no SESC Campestre. Após adquirir amplo conhecimento no âmbito de eventos e atendimento, sentiu necessidade de atender seu cliente de forma personalizada e da forma que acredita ser um evento: "Fazer evento é aproximar pessoas, compartilhar momentos... é encantá-las e fazê-las felizes!" Sejam Bem-Vindos a este mundo de sonhos!

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Ela só pensa em beijar, beijar, beijar...beijar


Hoje é o Dia Mundial do Beijo!
Que ótimo pretexto para encher de beijo a quem se ama, afinal, ninguém duvida que beijar seja um ato de carinho e amor...não é mesmo?
Por uma casualiade hoje terminou a novela "Aquele beijo". Nunca vi um capítulo inteiro, mas concordo que "aquele beijo" pode mudar tudo em nossas vidas.
O beijo é o primeiro contato para o ato sexual. Se o beijo não convidar a algo mais, tudo já para por aì.
Mas de onde vem essa demonstração de afeto?
No latim, beijo significa toque dos lábios. Na cultura ocidental, ele é considerado gesto de afeição.
Há dúvidas sobre a origem do beijo... o beijo teria surgido 2500 anos a.C., época em que os amantes começaram a ser retratados nas esculturas e nos murais dos templos de Khajuraho, na Índia.
Ou ainda, a origem dessa carícia seria mais antiga, tratando-se de uma sofisticação das mordidas que os macacos trocavam em seus ritos pré-sexuais. Há também uma tese de que seria uma evolução das lambidas que o homem pré-histórico dava no rosto dos companheiros para suprir a necessidade de sal de seu organismo ou um ato de amor da mãe na época das cavernas. Sem utensílios para cortar os alimentos elas mastigavam a comida antes de depositar na boca de seus filhos pequenos. Uiii, blects! Mas ainda assim, um carinho...
Diz-se também que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates. Era uma espécie de prova de reconhecimento. Aliás, os gregos adoravam beijar. Mas foram os romanos que difundiram a prática. Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios, e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. Eles tinham três tipos de beijos: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes.
Na Idade Média, o beijo era visto como uma forma de selar acordos. Com a boca fechada, os homens se beijavam com firmeza.
O hábito de beijar varia de acordo com o país: os italianos não se constrangem em trocar beijos na bochecha para se cumprimentarem. Em alguns países, o beijo é sinal de muita intimidade... não tente beijar um japonês em alguma ocasião formal. Algumas regiões dão 1 beijo, 2 beijos e outros... 3 beijos, sendo que o terceiro sempre vem com a frase "o terceiro é para casar".
Na Escócia, era costume o padre beijar os lábios da noiva ao final da cerimônia. Acreditava-se que a felicidade conjugal dependia dessa benção. Já na festa, a noiva deveria beijar todos os homens na boca, em troca de dinheiro.
Na Rússia, uma das mais altas formas de reconhecimento oficial era o beijo do czar.
Já no século XV, os nobres franceses podiam beijar qualquer mulher.
Na Itália, entretanto, se um homem beijasse uma donzela em público, era obrigado a casar imediatamente.
Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida; entre amantes e apaixonados, como prova da paixão.
O primeiro beijo trocado pelos noivos no encerramento da cerimônia teve diversos significados ao longo dos tempos. Muitas culturas acreditavam que o casal trocava espíritos na respiração e parte de suas almas também eram compartilhadas. O beijo nupcial que se pratica em alguns países teve a sua origem na época feudal. Significa uma homenagem que o noivo fazia à família da noiva.

Beijos na arte
1927: O primeiro filme vencedor do Oscar de melhor filme, Wings (Asas), também foi o primeiro filme (de que se tem registro) a mostrar dois homens beijando-se. Trata-se de um beijo na face, entre dois grandes amigos, os personagens Jack Powell e David Armstrong, no momento em que esse último estava à morte, ferido em batalha aérea. O beijo foi apresentado de forma fraternal, absolutamente não-sexual e não-erótica.

1942: O filme Casablanca emocionou audiências do mundo inteiro com a cena do beijo de despedida que o personagem de Rick (Humphrey Bogart) dá em Ilsa (Ingrid Bergman).

1953: O filme From Here to Eternity (A Um Passo da Eternidade) apresentou uma das cenas mais reconhecidas de beijo da história do cinema: a que ocorre entre as personagens de Burt Lancaster e Deborah Kerr enquanto estão deitados na areia da praia.

Um dos beijos mais famosos da história é o beijo de Judas dado em Jesus.

2005: O filme Brokeback Mountain causa furor em praticamente todos os lugares do mundo em que foi lançado. A cena em que Ennis (Heath Ledger) reencontra Jack (Jake Gyllenhaal) pela primeira vez em anos, e se beijam logo imediatamente, é uma das mais lembradas. Acabou por levar um MTV Movie Award de melhor sequência de beijo.

O beijo no cinema é sempre um momento transformador... basta observar clássicos como "Branca de Neve" e "A Bela Adormecida".

A verdade é que, independente de onde tenha nascido a "prática" do beijo, ela é antes de mais nada aproximadora, determinante e passional. Seja um beijo de pai para a filha na sua festa de 15 anos ou um beijo apaixonado que sela um casamento, o momento é de carinho.

O segredo é mantermos a tradição e sermos felizes para sempre....