Sobre a Camila Quintana - Assessoria de Eventos

A Cerimonialista Camila Quintana é graduada em Comunicação Social - Bacharelado em Relações Públicas pela Unisinos. Concluiu o curso com Distinção com a abordagem do tema "Crise de Imagem de Pessoa Pública" baseado no case de Ibsen Pinheiro. Entre 2008 e 2010 trabalhou na área de Atendimento ao Cliente na empresa Claro. Posteriormente atuou na Central de Eventos na tradicional Associação Leopoldina Juvenil de Porto Alegre e no Clube do Comércio,junto à Barcelos Gastronomia, tendo ainda passagem como Coordenadora de Eventos no SESC Campestre. Após adquirir amplo conhecimento no âmbito de eventos, sentiu necessidade de atender seu cliente de forma personalizada e da forma que acredita ser um evento: "Fazer evento é aproximar pessoas, compartilhar momentos... é encantá-las e fazê-las felizes!" Desta forma, nasceu a Camila Quintana - Assessoria de Eventos que hoje conta com uma equipe permanente de 9 profissionais capacitados em eventos o que nos permite manter sempre o mesmo padrão de qualidade e exigência. Sejam Bem-Vindos a este mundo de sonhos!

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Ela só pensa em beijar, beijar, beijar...beijar


Hoje é o Dia Mundial do Beijo!
Que ótimo pretexto para encher de beijo a quem se ama, afinal, ninguém duvida que beijar seja um ato de carinho e amor...não é mesmo?
Por uma casualiade hoje terminou a novela "Aquele beijo". Nunca vi um capítulo inteiro, mas concordo que "aquele beijo" pode mudar tudo em nossas vidas.
O beijo é o primeiro contato para o ato sexual. Se o beijo não convidar a algo mais, tudo já para por aì.
Mas de onde vem essa demonstração de afeto?
No latim, beijo significa toque dos lábios. Na cultura ocidental, ele é considerado gesto de afeição.
Há dúvidas sobre a origem do beijo... o beijo teria surgido 2500 anos a.C., época em que os amantes começaram a ser retratados nas esculturas e nos murais dos templos de Khajuraho, na Índia.
Ou ainda, a origem dessa carícia seria mais antiga, tratando-se de uma sofisticação das mordidas que os macacos trocavam em seus ritos pré-sexuais. Há também uma tese de que seria uma evolução das lambidas que o homem pré-histórico dava no rosto dos companheiros para suprir a necessidade de sal de seu organismo ou um ato de amor da mãe na época das cavernas. Sem utensílios para cortar os alimentos elas mastigavam a comida antes de depositar na boca de seus filhos pequenos. Uiii, blects! Mas ainda assim, um carinho...
Diz-se também que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates. Era uma espécie de prova de reconhecimento. Aliás, os gregos adoravam beijar. Mas foram os romanos que difundiram a prática. Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios, e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. Eles tinham três tipos de beijos: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes.
Na Idade Média, o beijo era visto como uma forma de selar acordos. Com a boca fechada, os homens se beijavam com firmeza.
O hábito de beijar varia de acordo com o país: os italianos não se constrangem em trocar beijos na bochecha para se cumprimentarem. Em alguns países, o beijo é sinal de muita intimidade... não tente beijar um japonês em alguma ocasião formal. Algumas regiões dão 1 beijo, 2 beijos e outros... 3 beijos, sendo que o terceiro sempre vem com a frase "o terceiro é para casar".
Na Escócia, era costume o padre beijar os lábios da noiva ao final da cerimônia. Acreditava-se que a felicidade conjugal dependia dessa benção. Já na festa, a noiva deveria beijar todos os homens na boca, em troca de dinheiro.
Na Rússia, uma das mais altas formas de reconhecimento oficial era o beijo do czar.
Já no século XV, os nobres franceses podiam beijar qualquer mulher.
Na Itália, entretanto, se um homem beijasse uma donzela em público, era obrigado a casar imediatamente.
Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida; entre amantes e apaixonados, como prova da paixão.
O primeiro beijo trocado pelos noivos no encerramento da cerimônia teve diversos significados ao longo dos tempos. Muitas culturas acreditavam que o casal trocava espíritos na respiração e parte de suas almas também eram compartilhadas. O beijo nupcial que se pratica em alguns países teve a sua origem na época feudal. Significa uma homenagem que o noivo fazia à família da noiva.

Beijos na arte
1927: O primeiro filme vencedor do Oscar de melhor filme, Wings (Asas), também foi o primeiro filme (de que se tem registro) a mostrar dois homens beijando-se. Trata-se de um beijo na face, entre dois grandes amigos, os personagens Jack Powell e David Armstrong, no momento em que esse último estava à morte, ferido em batalha aérea. O beijo foi apresentado de forma fraternal, absolutamente não-sexual e não-erótica.

1942: O filme Casablanca emocionou audiências do mundo inteiro com a cena do beijo de despedida que o personagem de Rick (Humphrey Bogart) dá em Ilsa (Ingrid Bergman).

1953: O filme From Here to Eternity (A Um Passo da Eternidade) apresentou uma das cenas mais reconhecidas de beijo da história do cinema: a que ocorre entre as personagens de Burt Lancaster e Deborah Kerr enquanto estão deitados na areia da praia.

Um dos beijos mais famosos da história é o beijo de Judas dado em Jesus.

2005: O filme Brokeback Mountain causa furor em praticamente todos os lugares do mundo em que foi lançado. A cena em que Ennis (Heath Ledger) reencontra Jack (Jake Gyllenhaal) pela primeira vez em anos, e se beijam logo imediatamente, é uma das mais lembradas. Acabou por levar um MTV Movie Award de melhor sequência de beijo.

O beijo no cinema é sempre um momento transformador... basta observar clássicos como "Branca de Neve" e "A Bela Adormecida".

A verdade é que, independente de onde tenha nascido a "prática" do beijo, ela é antes de mais nada aproximadora, determinante e passional. Seja um beijo de pai para a filha na sua festa de 15 anos ou um beijo apaixonado que sela um casamento, o momento é de carinho.

O segredo é mantermos a tradição e sermos felizes para sempre....