Sobre a Camila Quintana - Assessoria de Eventos

A Cerimonialista Camila Quintana é graduada em Comunicação Social - Bacharelado em Relações Públicas pela Unisinos. Concluiu o curso com Distinção com a abordagem do tema "Crise de Imagem de Pessoa Pública" baseado no case de Ibsen Pinheiro, buscando a problemática de soluções de crises e restabelecimento de imagem no mercado. Entre 2008 e 2010 trabalhou na área de Atendimento ao Cliente na empresa Claro assessorando em casos críticos para reversão de imagem da empresa. Posteriormente atuou na Central de Eventos na tradicional Associação Leopoldina Juvenil de Porto Alegre e no Clube do Comércio,junto à Barcelos Gastronomia, tendo ainda passagem como Coordenadora de Eventos no SESC Campestre. Após adquirir amplo conhecimento no âmbito de eventos e atendimento, sentiu necessidade de atender seu cliente de forma personalizada e da forma que acredita ser um evento: "Fazer evento é aproximar pessoas, compartilhar momentos... é encantá-las e fazê-las felizes!" Sejam Bem-Vindos a este mundo de sonhos!

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Para não errar o tom


 Quando chega a hora da Colação de Grau, uma das maiores preocupações dos formandos é o Discurso. E com razão, é neste momento que caberá sintetizar todos os anos de estudos alí vividos, prender a platéia sem ser chato e usar o tom correto para emocionar os públicos envolvidos.
Não é tarefa fácil. Os oradores precisam ter postura adequada, serem bons leitores e terem a perspicácia para ajustes rápidos diante da platéia.
Escolher quem irá pronunciar a "fala" da turma é de extrema responsabilidade. Serão os representantes de todos os formandos.
Nem sempre o colega mais comunicativo é o mais indicado. Ser engraçado demais, também não ajuda. Há um conjunto de questões comportamentais que devem ser observadas.
Falar muito entedia as pessoas. Ok, que estarão nossos familiares e amigos mais próximos, mas ainda assim, ninguém merece um discurso para dormir sentado. Fale entre 7 a 10 minutos. É o suficiente.
Escolher uma citação que seja o perfil do grupo pode ajudar a desenvolver o discurso e prender a atenção do público.
Leia o discurso, mas não se esqueça de olhar para a platéia. Vale olhar nos olhos das pessoas. Para ser o orador é necessário este tipo de desenvoltura.
Ler o discurso inúmeras vezes facilita. Improvisar pode... mas é necessário ter muito cuidado para não se perder no improviso.
Seja bem humorado. Mas não em excesso. Utilize o bom senso.
Não esqueça de iniciar a oratória cumprimentando todos os presentes, fazendo menção, principalmente a pais e familiares.
Comente sobre as expectativas do curso que foram alcançadas, o que foi atingido, a importância dos professores, da faculdade e da educação como um todo. Vislumbre o futuro. Mencione cenários onde se imaginam estar. Lugares que a profissão irá possibilitar levar cada um.
Ressalte a importância do apoio da família, dos amigos, de todos aqueles que ajudaram a construir este momento. Fale das relações adquiridas ao longo da faculdade.
Ficar falando de cada formando, com alguma característica muito específica que só a turma conhece, pode se tornar excludente e cansativo aos demais convidados. Fale de forma geral da turma. Das características que a constituíram. De valores agregados que cada um trouxe.
Avalie as perspectivas e os objetivos alcançados. Seja motivador. Admitam que a vida irá se transformar e que muitos se dispersarão, mas que o importante é que este momento foi formado por todos.
Agradeça aos professores e à aqueles que auxiliaram nesta formação.
Emocione. Neste dia, isto não será difícil.
Bom discurso!