Sobre a Camila Quintana - Assessoria de Eventos

A Cerimonialista Camila Quintana é graduada em Comunicação Social - Bacharelado em Relações Públicas pela Unisinos. Concluiu o curso com Distinção com a abordagem do tema "Crise de Imagem de Pessoa Pública" baseado no case de Ibsen Pinheiro, buscando a problemática de soluções de crises e restabelecimento de imagem no mercado. Entre 2008 e 2010 trabalhou na área de Atendimento ao Cliente na empresa Claro assessorando em casos críticos para reversão de imagem da empresa. Posteriormente atuou na Central de Eventos na tradicional Associação Leopoldina Juvenil de Porto Alegre e no Clube do Comércio,junto à Barcelos Gastronomia, tendo ainda passagem como Coordenadora de Eventos no SESC Campestre. Após adquirir amplo conhecimento no âmbito de eventos e atendimento, sentiu necessidade de atender seu cliente de forma personalizada e da forma que acredita ser um evento: "Fazer evento é aproximar pessoas, compartilhar momentos... é encantá-las e fazê-las felizes!" Sejam Bem-Vindos a este mundo de sonhos!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Baile de Debutantes - História



O Baile de debutantes através dos anos não mudou seu propósito: apresentar a menina que está aniversariando seus 15 anos à sociedade.
É bem verdade que a sociedade mudou, mas a tradição se mantem, principalmente nas famílias de classe média e alta.
O Baile de debutantes surgiu na Antiga Europa, em países como França, Inglaterra, Alemanha e Áustria.
A palavra debutante vem da França débutante que signfica iniciante ou estreante, justamente o objetivo da festa - iniciar sua participação na sociedade, ser conhecida pelas demais famílias e até mesmo buscar um pretendente, dentro das mesmas famílias abastadas que frequentavam o evento.
A partir do seu debut, a menina/moça estaria apta a frequentar reuniões socias que antes não lhe eram permitidas. A tradição da troca do vestido também descende desta época, quando as meninas se vestiam em modelos mais delicados e suaves até à meia noite e após, simbolizando um rito de passagem para a fase "mulher" se apresentava novamente aos seus convidados com um vestido de gala, agora para oficialmente dançar a valsa com seu pai... e posteriormente, demais convidados (possivelmente, os tais pretendentes).
Mesmo após a Revolução Francesa, as famílias burguesas mantiveram a tradição e pela fama de sofisticação e status da ocasião se disseminou para demais países, inclusive Estados Unidos.
Não podemos esquecer que nosso país foi mais tardiamente "colonizado" e "invadido" pela classe burguesa portuguesa, por isso não se tem muitos relatos sobre baile de debutantes nesta época. Mas não deveria ser muito diferente, pois bem se sabe que os casamentos eram realizados desde cedo, sempre por volta dos 15 anos, o que nos indica que algo semelhante ao que ocorria nos países europeus, também ocorria por aqui.
O que temos de sólido é que no Brasil, o baile de debutantes adquiriu real glamour na década de 50, no século XX, quando se passou a contar com a divulgação em colunas socias e coisas do gênero, como os mais variados concursos. Foi nesta época que iniciou-se a realização do baile de debutantes em grupos, realizados em clubes e sociedades de alto status na comunidade.
Nos últimos anos, a festa ou o baile um poco esquecidos por viagens, tomou força novamente na sociedade. A troca dos vestidos, a valsa, a troca do sapato e o anel voltaram a ser vistos com olhos de requinte e glamour pelas meninas seus familiares.
Hoje, a sociedade modificou-se. Não há mais a intenção de achar pretendentes para a aniversariante, mas a apresentação aos demais segue sendo uma oficialização do rito de passagem da menina.